Centro de Documentação do Jornalismo de Imperatriz

Silvia Federici: capitalismo e a mulher, um olhar sobre o feminino
Silvia Federici: capitalismo e a mulher, um olhar sobre o feminino “A caça às bruxas nunca terminou, mas as mulheres também nunca deixaram de resistir”, Silvia Federici
Valci Zuculoto debate estudos sobre jornalismo
Valci Zuculoto debate estudos sobre jornalismo A palestra é uma inciativa do Grupo de Pesquisa Jornalismo, Mídia e Memória (JOIMP) com apoio do PPGCOM/Mestrado em Comunicação, da UFMA Imperatriz.
Documentário mostra dilemas dos jornalistas na cobertura da Covid-19
Documentário mostra dilemas dos jornalistas na cobertura da Covid-19 Cercados - A Imprensa Contra o Negacionismo na Pandemia 
Aberta a votação para escolher quem vai receber a comenda de 200 anos da imprensa no Maranhão
Aberta a votação para escolher quem vai receber a comenda de 200 anos da imprensa no Maranhão Você pode ajudar nessa escolha
Revista Outros Tempos prepara Dossiê sobre a história do Maranhão
Revista Outros Tempos prepara Dossiê sobre a história do Maranhão Uma homenagem aos 200 de fundação da imprensa no Maranhão

Quem Somos


O Centro de Documentação do Jornalismo de Imperatriz-MA está localizado, desde 2010, no Centro de Ciências Sociais, Saúde e Tecnologia (UFMA/CCSST), em Imperatriz-MA. O acervo é fonte de pesquisas e espaço de compartilhamento da produção científica do Curso de Jornalismo da UFMA Imperatriz, fundado em 16 de novembro de 2006. Possui revistas, periódicos, livros, documentários e trabalhos acadêmicos da área da comunicação. Em junho de 2013 foi realizada, a partir dos documentos do acervo, a primeira exposição “80 anos de Jornalismo em Imperatriz".

joimp

O projeto recebeu importantes doações de jornais de Imperatriz. Hoje são mais de 20 títulos e dezenas de exemplares. Uma das delas reuniu os primeiros cinco anos de circulação de O Progresso (1970 a 1975). Esse material foi fornecido em 2014 por Violeta Valadares Vieira, filha de um dos fundadores do referido impresso, José Matos Vieira. E os jornais não para de chegar. Em 2017 forem encaminhados também exemplares do jornal alternativo Quatro Bocas pela jornalista Mariana Castro, um dos mais novos periódicos locais. Trabalho coletivo A doação de jornais de Imperatriz e região pela comunidade nos mostrou que a sociedade tinha interesse em preservar a memória da imprensa local. Para viabilizar esse trabalho através de uma plataforma digital, o Curso de Jornalismo obteve recursos do Edital 026/2015, da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico do Maranhão (FAPEMA) O objetivo foi propiciar ao público as referências, através das notícias, sobre o fazer dos jornalistas e estudos sobre a relação do campo jornalístico com cotidiano da cidade. O trabalho de digitalização e sistematização do conhecimento do jornalismo começou em 2016 através de um amplo trabalho coletivo, gratificante e desafiador, envolvendo professores, profissionais da biblioteconomia e da informática, jornalistas, historiadores e, principalmente, estudantes do curso. A ideia é continuar a atividade, realizar pesquisas para colaborar com o pensamento crítico e a transformação do jornalismo imperatrizense.

Equipe