Centro de Documentação do Jornalismo de Imperatriz

Os quatro melhores acervos digitais
Os quatro melhores acervos digitais Compilado de materiais disponibilizados online gratuitamente
Lançado primeiro volume do livro 200 anos de imprensa no Maranhão
Lançado primeiro volume do livro 200 anos de imprensa no Maranhão Noite de lançamento ocorreu no dia 27 de junho de 2022, no Palacete Gentil Braga, em São Luís e reuniu autores, além dos organizadores da obra
Mestranda analisa Podcast Mamilos
Mestranda analisa Podcast Mamilos Fontes entrevistadas no programa vira material de pesquisa de Gessiela Nascimento
6 acervos digitais com livros, documentos e objetos históricos gratuitos
6 acervos digitais com livros, documentos e objetos históricos gratuitos Conheça os espaços online que são responsáveis pela preservação de parte da história do estado do Maranhão
Integrantes do Joimp apresentam suas pesquisas para conclusão do curso de Jornalismo
Integrantes do Joimp apresentam suas pesquisas para conclusão do curso de Jornalismo Nesta segunda feira, 25 de julho, Michely Alves e Wanderson Souza defendem seus trabalhos de conclusão do curso - TCC do Curso de Jornalismo da Universidade de Federal do Maranhão – UFMA/Imperatriz.

Quem Somos


O Centro de Documentação do Jornalismo de Imperatriz-MA está localizado, desde 2010, no Centro de Ciências Sociais, Saúde e Tecnologia (UFMA/CCSST), em Imperatriz-MA. O acervo é fonte de pesquisas e espaço de compartilhamento da produção científica do Curso de Jornalismo da UFMA Imperatriz, fundado em 16 de novembro de 2006. Possui revistas, periódicos, livros, documentários e trabalhos acadêmicos da área da comunicação. Em junho de 2013 foi realizada, a partir dos documentos do acervo, a primeira exposição “80 anos de Jornalismo em Imperatriz".

joimp

O projeto recebeu importantes doações de jornais de Imperatriz. Hoje são mais de 20 títulos e dezenas de exemplares. Uma das delas reuniu os primeiros cinco anos de circulação de O Progresso (1970 a 1975). Esse material foi fornecido em 2014 por Violeta Valadares Vieira, filha de um dos fundadores do referido impresso, José Matos Vieira. E os jornais não para de chegar. Em 2017 forem encaminhados também exemplares do jornal alternativo Quatro Bocas pela jornalista Mariana Castro, um dos mais novos periódicos locais. Trabalho coletivo A doação de jornais de Imperatriz e região pela comunidade nos mostrou que a sociedade tinha interesse em preservar a memória da imprensa local. Para viabilizar esse trabalho através de uma plataforma digital, o Curso de Jornalismo obteve recursos do Edital 026/2015, da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico do Maranhão (FAPEMA) O objetivo foi propiciar ao público as referências, através das notícias, sobre o fazer dos jornalistas e estudos sobre a relação do campo jornalístico com cotidiano da cidade. O trabalho de digitalização e sistematização do conhecimento do jornalismo começou em 2016 através de um amplo trabalho coletivo, gratificante e desafiador, envolvendo professores, profissionais da biblioteconomia e da informática, jornalistas, historiadores e, principalmente, estudantes do curso. A ideia é continuar a atividade, realizar pesquisas para colaborar com o pensamento crítico e a transformação do jornalismo imperatrizense.

Equipe